Publicado em Deixe um comentário

O POTENCIAL DA INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL NA SAÚDE

A integração da inteligência artificial na medicina tem revolucionado diagnósticos e tratamentos, expandindo horizontes em áreas antes inexploradas. Uma notável aplicação desta tecnologia está na startup Huna, que utiliza algoritmos avançados para analisar dados sanguíneos com o objetivo de detectar precocemente doenças crônicas complexas, como o câncer de mama.

Fundada por pesquisadores que estabeleceram o primeiro laboratório de inteligência artificial em uma universidade brasileira, a Huna destaca-se pela capacidade de revelar padrões sutis nos exames de sangue, padrões estes que escapam à observação humana. Essa abordagem inovadora visa aproveitar ao máximo informações frequentemente subutilizadas, transformando exames rotineiros como o hemograma em ferramentas poderosas de diagnóstico precoce.

A tecnologia desenvolvida pela Huna não substitui métodos tradicionais como a mamografia, mas complementa-os ao identificar pacientes com maior probabilidade de desenvolver câncer de mama. Este enfoque não só pode otimizar o uso de recursos de saúde, como também abrir caminho para políticas públicas mais eficazes no setor.

Além do câncer de mama, a empresa explora aplicações potenciais para outras doenças, promovendo uma abordagem preventiva que pode beneficiar populações em todo o mundo. Com o apoio de instituições de saúde renomadas e investimento privado, a Huna visa expandir seu impacto globalmente, enfrentando desafios de saúde pública com inovação e tecnologia acessível.

Esta iniciativa não só promete revolucionar o campo da medicina diagnóstica, mas também redefine a maneira como entendemos e tratamos doenças complexas, proporcionando um futuro mais promissor para a saúde global.

Publicado em Deixe um comentário

GRUPOS DE RANSOMWARE EXPÕEM DADOS SENSÍVEIS DE PACIENTES EM CONSULTÓRIOS MÉDICOS

Um grupo de cibercriminosos recentemente chamou a atenção ao invadir sistemas de consultórios de cirurgia plástica no Rio Grande do Sul e no Paraná, bem como de uma clínica de saúde sexual masculina em Minas Gerais. Utilizando a deep web para divulgar seus feitos, o grupo, denominado Qiulong, revelou estar em posse de imagens íntimas e dados financeiros dos pacientes.

A partir de sexta-feira passada, a página da deep web onde o grupo opera foi descoberta, mostrando atualizações até a última quarta-feira. Esses criminosos virtuais têm ameaçado divulgar esses dados sensíveis amplamente, incluindo redes sociais, a menos que um resgate seja pago.

As clínicas atingidas estão enfrentando a delicada situação de ter seus dados sequestrados via ransomware, um tipo de ataque que criptografa dados vitais e exige pagamento para sua liberação. Um dos consultórios afetados negou que as fotos vazadas sejam de seus clientes, embora confirme o ataque de ransomware. Enquanto isso, um segundo consultório confirmou ter sido atacado, mas optou por não dar detalhes. Ambos registraram boletins de ocorrência.

Os cibercriminosos afirmam ter em seu poder aproximadamente 64 gigabytes de informações, que incluem não apenas fotos, mas também dados pessoais, bancários e de comunicações entre médicos e pacientes. Além disso, reivindicam acesso às senhas de médicos em diversos serviços online.

A natureza deste incidente reforça a necessidade urgente de medidas robustas de segurança cibernética nos setores de saúde, especialmente para proteger informações sensíveis dos pacientes.

Um grupo de cibercriminosos recentemente chamou a atenção ao invadir sistemas de consultórios de cirurgia plástica no Rio Grande do Sul e no Paraná, bem como de uma clínica de saúde sexual masculina em Minas Gerais. Utilizando a deep web para divulgar seus feitos, o grupo, denominado Qiulong, revelou estar em posse de imagens íntimas e dados financeiros dos pacientes.

A partir de sexta-feira passada, a página da deep web onde o grupo opera foi descoberta, mostrando atualizações até a última quarta-feira. Esses criminosos virtuais têm ameaçado divulgar esses dados sensíveis amplamente, incluindo redes sociais, a menos que um resgate seja pago.

As clínicas atingidas estão enfrentando a delicada situação de ter seus dados sequestrados via ransomware, um tipo de ataque que criptografa dados vitais e exige pagamento para sua liberação. Um dos consultórios afetados negou que as fotos vazadas sejam de seus clientes, embora confirme o ataque de ransomware. Enquanto isso, um segundo consultório confirmou ter sido atacado, mas optou por não dar detalhes. Ambos registraram boletins de ocorrência.

Os cibercriminosos afirmam ter em seu poder aproximadamente 64 gigabytes de informações, que incluem não apenas fotos, mas também dados pessoais, bancários e de comunicações entre médicos e pacientes. Além disso, reivindicam acesso às senhas de médicos em diversos serviços online.

A natureza deste incidente reforça a necessidade urgente de medidas robustas de segurança cibernética nos setores de saúde, especialmente para proteger informações sensíveis dos pacientes.

Publicado em Deixe um comentário

INSS IMPLEMENTA INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL DA DATAPREV PARA IDENTIFICAÇÃO DE FRAUDES

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) está inovando ao implementar soluções de inteligência artificial para o combate a fraudes em atestados médicos, com o objetivo de otimizar processos e reduzir as extensas filas de espera para solicitações de benefícios por incapacidade temporária. Essa iniciativa, pioneira e desenvolvida pela empresa de tecnologia Dataprev, marca um passo significativo no uso da tecnologia para garantir maior eficiência e justiça nos processos de concessão de benefícios.

A nova estratégia envolve a análise remota de atestados médicos, facilitando o processo para os solicitantes que buscam benefícios por períodos de até 180 dias. Este sistema permite que os documentos sejam enviados digitalmente, através do aplicativo ou site oficial, onde são submetidos à uma rigorosa avaliação por algoritmos de inteligência artificial. A tecnologia empregada analisa diversas informações contidas nos documentos, como os dados do profissional de saúde responsável, especialidade, local de trabalho e até mesmo o IP do computador utilizado para enviar o pedido, buscando sinais de incoerências ou possíveis fraudes.

Uma das grandes vantagens desse sistema é a capacidade de detectar irregularidades que antes poderiam passar despercebidas, como foi o caso de atestados médicos oriundos de uma mesma região, que apresentavam incongruências significativas em suas estruturas e foram utilizados indevidamente, levando a uma investigação policial. Tal descoberta não só ressalta a eficácia da ferramenta em identificar fraudes, mas também serve como um importante alerta para aqueles que tentam se aproveitar do sistema de seguridade social.

Para ter acesso a esses benefícios, o solicitante deve cumprir com determinados critérios, tais como estar em dia com as contribuições ao INSS, manter a qualidade de segurado e ter um mínimo de 12 contribuições mensais anteriores ao mês de solicitação do afastamento. Além disso, o atestado médico apresentado não deve indicar um período de afastamento superior a 15 dias e precisa ter uma validade máxima de 90 dias.

A iniciativa do INSS de incorporar inteligência artificial na análise de atestados médicos é um marco importante na modernização do sistema de seguridade social do país. Essa abordagem não apenas promete maior agilidade e precisão na detecção de fraudes, mas também representa um passo significativo em direção a um sistema mais justo e eficiente para todos os cidadãos.

Publicado em Deixe um comentário

INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL CONTRA A FRAUDE EM ATESTADOS MÉDICOS

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) inovou recentemente ao adotar uma tecnologia baseada em inteligência artificial para otimizar a verificação de autenticidade em atestados médicos. Esta estratégia, desenvolvida pela Dataprev, visa principalmente acelerar o processamento e reduzir as extensas filas de espera associadas às solicitações de benefícios por incapacidade temporária. A adoção desta ferramenta representa um avanço significativo na luta contra fraudes, garantindo que os recursos sejam direcionados aos realmente necessitados.

Neste novo sistema, os atestados são enviados eletronicamente pelos requerentes, que buscam obter aprovação para benefícios limitados a um período máximo de 180 dias. O processo digitalizado permite uma análise detalhada dos documentos, utilizando algoritmos avançados para verificar uma série de informações, incluindo a identificação do médico, sua especialidade, o local de prática profissional e até mesmo o IP de origem do envio do documento. Este método oferece uma camada adicional de segurança, cruzando dados de forma a identificar discrepâncias que possam sugerir tentativas de fraude.

A eficácia deste sistema já se mostrou promissora, com a identificação de casos suspeitos que estão atualmente sob investigação. Um exemplo notável inclui a descoberta de atestados médicos que, embora emitidos sob o nome de uma mesma profissional, apresentavam inconsistências claras, como variações no padrão da letra e uso de um carimbo idêntico, apontando para uma possível má utilização desses documentos. Tal caso está sendo aprofundado com a colaboração da Polícia Federal, destacando o potencial do sistema em combater atividades fraudulentas de forma eficiente.

Para aqueles interessados em solicitar o benefício por incapacidade temporária, é importante observar que existem critérios específicos a serem cumpridos. Entre eles, destacam-se a exigência de contribuições regulares ao INSS, a manutenção da qualidade de segurado e a necessidade de um mínimo de 12 contribuições antes do evento que gerou a incapacidade. Ademais, os atestados submetidos não devem indicar um afastamento superior a 15 dias e precisam estar dentro de um prazo de validade de até 90 dias.

A introdução desta ferramenta de inteligência artificial pelo INSS, portanto, marca um passo significativo em direção à modernização e eficiência nos processos de concessão de benefícios, reforçando o compromisso da instituição com a integridade e a justiça no atendimento às necessidades de sua base de segurados.

Publicado em Deixe um comentário

O DESAFIO DA CIBERSEGURANÇA NA SAÚDE PÚBLICA: REFLEXÕES SOBRE A FORTALEZA DIGITAL NA SAÚDE

A cibersegurança tem emergido como um dos pilares críticos da sociedade digital. A recente suspeita de um ataque hacker à Fiocruz, uma das maiores e mais respeitadas instituições de saúde pública do Brasil, joga luz sobre as vulnerabilidades que mesmo grandes entidades enfrentam em uma era digital.

O relato inicial, divulgado pelo The Cyber Express, sugere uma invasão da magnitude de 500 GB de dados essenciais da Fiocruz, supostamente conduzida pelo grupo NoEscape. Se confirmado, esse incidente destaca não apenas a audácia dos cibercriminosos, mas a sofisticação crescente de suas ferramentas e táticas.

De acordo com as informações, esse ataque teria sequestrado uma gama diversificada de arquivos – de backups a dados confidenciais de funcionários, evidenciando a amplitude e a profundidade da invasão. A metodologia utilizada é: o NoEscape Ransomware-as-a-Service (RaaS), uma técnica avançada recentemente identificada por especialistas do CRIL.

A combinação dos algoritmos ChaCha20 e RSA exemplifica uma abordagem híbrida na criptografia, que eleva o nível de segurança e complica os esforços de descriptografia. Além disso, o software malicioso, astutamente, ainda consegue burlar os modos de segurança convencionais do Windows.

Outro elemento é a capacidade do NoEscape de inspecionar redes de forma assíncrona, apontando uma evolução nos métodos de detecção de vulnerabilidades e consequente exploração de sistemas. O modus operandi, ao que parece, culmina em um pedido de resgate em bitcoins, uma criptomoeda notória por sua anonimidade.

O episódio serve como um alerta. O Brasil, e em especial suas instituições de grande porte, devem investir e priorizar a cibersegurança. Afinal, em um mundo cada vez mais conectado, garantir a integridade de nossos dados é garantir a integridade de nossa sociedade.