Publicado em Deixe um comentário

EMPRESAS FRENTE A DESAFIOS JUDICIAIS POR FRAUDES ELETRÔNICAS

Em um ambiente digital cada vez mais complexo, a importância da segurança online é enfatizada pelo Dia Internacional da Internet Segura, comemorado em 6 de fevereiro. Um estudo realizado pela Deep Legal, uma empresa especializada em inteligência de dados e gestão preditiva, destaca um dado preocupante: em 60% dos processos judiciais relacionados a fraudes eletrônicas, as empresas são responsabilizadas, ao menos em parte, por danos sofridos pelos clientes devido a esses golpes.

A análise, baseada em 10.000 casos judiciais brasileiros, aponta que o setor financeiro, de telecomunicações e de varejo são os mais afetados por reclamações de consumidores relacionadas a fraudes digitais. Utilizando técnicas de Legal Analytics, a Deep Legal conseguiu mapear as principais tendências e decisões judiciais, oferecendo uma perspectiva valiosa sobre a responsabilização das empresas nesses casos.

Apesar de os consumidores frequentemente compartilharem seus dados, as empresas têm a responsabilidade de informá-los sobre potenciais golpes envolvendo suas marcas. A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), em vigor no Brasil, impõe penalidades severas às empresas que negligenciam a segurança dos dados dos clientes.

O aumento significativo dos casos de estelionato digital, que cresceram 65,1% em 2022 em comparação com o ano anterior, segundo o Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2023, sublinha a necessidade urgente de medidas de proteção eficazes. As penalidades previstas pela LGPD incluem advertências, multas de até R$50 milhões, publicização da infração e, em casos mais graves, suspensão ou bloqueio das bases de dados.

A Deep Legal se apresenta como uma ferramenta inovadora para empresas e escritórios jurídicos, oferecendo soluções baseadas em inteligência artificial e gestão preditiva que transformam dados judiciais em insights estratégicos. O objetivo é auxiliar na gestão de volumes judiciais, permitindo uma tomada de decisão mais informada e estratégica, ao mesmo tempo em que se antecipa tendências e se minimiza riscos legais.

Publicado em Deixe um comentário

AUTENTICAÇÃO E PROVA JURÍDICA: O CRESCIMENTO DAS ATAS NOTARIAIS NA ERA DIGITAL

A ata notarial representa uma ferramenta jurídica de grande valia, servindo para autenticar acontecimentos tanto no âmbito físico quanto no digital, e atuando como prova em procedimentos judiciais. Este documento, elaborado por tabeliães, é capaz de oficializar a observação de variados eventos, desde a condição atual de um imóvel até o registro de atividades em plataformas online e redes sociais. Sua principal função é conferir uma fé pública aos fatos relatados, transformando observações diretas em registros oficiais.

Esse instrumento se mostra fundamental não somente para questões relacionadas a propriedades ou desavenças entre vizinhos, mas também para a documentação de ofensas ou atos ilícitos na internet, como ataques à reputação ou à imagem de pessoas. A produção da ata envolve a inclusão de informações detalhadas, como a data, hora, localização dos eventos, descrição detalhada dos fatos observados, podendo inclusive incluir depoimentos de testemunhas, registros fotográficos, vídeos e transcrições de áudios, além da assinatura do responsável pelo cartório.

Recentemente, observou-se um crescimento na demanda por atas notariais em território nacional, uma tendência impulsionada pela maior conscientização sobre a importância e eficácia desses documentos como evidência legal. Leis que endurecem as penalidades para determinados crimes, inclusive os cometidos no ambiente virtual, como o bullying eletrônico, têm incentivado a procura por esse tipo de documentação, especialmente para registrar conteúdos considerados ofensivos na web.

Para adquirir uma ata notarial, os interessados podem optar tanto pelo atendimento presencial em um cartório de notas quanto pelo uso de plataformas eletrônicas dedicadas, que facilitam o processo. O custo para a obtenção do documento pode variar de acordo com a região, mas em geral, os valores são acessíveis, garantindo a rapidez na emissão do registro oficial.

Estatísticas indicam um aumento contínuo na solicitação de atas notariais, com registros recordes de emissões tanto em estados específicos quanto no cenário nacional. O ano de 2023 marcou um avanço significativo, com um acréscimo médio de 12% na produção desses documentos, refletindo uma tendência de crescimento na utilização da ata notarial para a documentação de fatos no mundo virtual como meio de prova legal. A busca por essa ferramenta jurídica demonstra sua relevância crescente na sociedade contemporânea, evidenciando a expansão de seu uso para além das questões tradicionais, abrangendo também o universo digital.

Publicado em Deixe um comentário

IA TRANSFORMANDO O DIREITO DO CONSUMIDOR: COLABORAÇÃO DE ESCRITÓRIOS DE ADVOCACIA E EMPRESAS

É indiscutível que a Inteligência Artificial (IA) está redefinindo setores inteiros, e o mundo jurídico não é exceção. A capacidade de processar vastas quantidades de informações e oferecer soluções baseadas em dados torna-se fundamental para a eficiência e eficácia do direito do consumidor. A integração da IA nesse campo está estreitamente ligada à maneira como departamentos jurídicos e escritórios de advocacia lidam com reclamações e demandas judiciais envolvendo consumidores.

Com um cenário em constante evolução tecnológica, é importante entender como os departamentos jurídicos podem se adaptar à era da IA e quais ferramentas podem ser aplicadas para reduzir as demandas do consumidor.

Em essência, a IA emula a inteligência humana através de algoritmos e sistemas computacionais. Quando aplicada ao direito do consumidor, a IA abre portas para uma gama de possibilidades, incluindo análise de dados, previsão de resultados legais, automação de tarefas e muito mais. Empresas e seus departamentos jurídicos podem agora analisar rapidamente padrões e tendências nas reclamações de consumidores, facilitando a abordagem proativa de problemas e até automatizando o atendimento ao cliente para reduzir dúvidas, insatisfações e reclamações.

No entanto, apesar das inúmeras ferramentas disponíveis e seus benefícios, desafios também surgem. A implementação de IA requer infraestrutura tecnológica adequada. Escritórios de advocacia e empresas podem enfrentar desafios de investimento, integração e manutenção dessas ferramentas, bem como resistência por parte dos profissionais e falta de compreensão das possibilidades da IA.

É nesse ponto que a colaboração entre empresas e escritórios de advocacia se destaca. Os escritórios de advocacia podem atuar como parceiros externos dos departamentos jurídicos, através de suas áreas de “Legal Ops”, fornecendo conhecimento especializado na implementação de soluções de IA. Eles se tornam protagonistas ao integrar a IA às operações jurídicas das empresas. Vejamos exemplos concretos:

Consultoria e Implementação: Auxiliam as empresas na escolha e implementação das ferramentas de IA mais adequadas, mantendo a conformidade regulatória.

Treinamento e Suporte: Oferecem treinamento e suporte aos departamentos jurídicos para o uso eficaz das ferramentas de IA.

Soluções Personalizadas: Em parceria com empresas de tecnologia, desenvolvem soluções de IA sob medida para atender necessidades específicas.

Dentre as várias ferramentas de IA disponíveis, algumas se destacam:

Chatbots Jurídicos: Programas que usam IA para responder questões legais em tempo real, reduzindo intervenção humana e reclamações. Análise Preditiva: Utilizando dados históricos e algoritmos, prevê possíveis resultados em processos judiciais, auxiliando em tomadas de decisão estratégicas. Análise e Gestão de Contratos: Facilitam a análise e gestão de contratos, identificando cláusulas de risco e garantindo conformidade.

A IA está remodelando o direito do consumidor, e empresas em colaboração com escritórios de advocacia estão na vanguarda dessa transformação. A incorporação da IA não é apenas uma tendência, mas uma realidade moldando a maneira como reclamações de consumo são tratadas. A colaboração entre tecnologia e expertise jurídica promete uma resolução de conflitos ágil, adaptada às necessidades dos consumidores. O futuro do direito é brilhante, e a IA é sua bússola rumo a uma era mais eficiente e inovadora.